Quinta-feira, 31 de Julho de 2008

Revisão em baixa...

Seguramente movido pela melhor das intenções, o jornal do engenheiro José Manuel Fernandes resolveu apimentar o anúncio da comunicação ao país, de Cavaco Silva.

De tal forma que a habitualmente reservada, e de resposta difícil às provocações próprias da pequena política, Casa Civil do Presidente da República se sentiu na necessidade de rever em baixa as expectativas causadas pela notícia.

Que não, Sua Excelência ainda não calçou as alpercatas, e não, esta não é a primeira vez de Sua Excelência, no que toca a alocuções do género.

Ao que parece a coisa, desta vez, não correu da melhor forma, o que em nenhuma circunstância significa que o Público deva desistir, sugerindo-se que da próxima vez que pretender (a)condicionar factos políticos convide o Professor Marcelo para coordenar a edição.

por SF às 15:05
link do post | comentar
Quarta-feira, 30 de Julho de 2008

Ao nosso comandante (*)

 

«Sempre que brilha o sol,
Naquela praia
Sinto o teu corpo vibrar,
Dentro de mim
O teu respirar
A saudade
A loucura
O delírio
Eu estremeço
Oh! Oh! Oh! »

 

(*)

 

Adenda:

Desde a publicação deste texto que tenho sido frequentemente intrepelado na rua, e também num comentário aqui em baixo, sobre a autoria deste verdadeiro hino de amor ardente. Bem, os versos são cantados pelo nosso Marco Paulo e não tenho qualquer razão para duvidar de que seja sua a autoria.

 

por SF às 00:09
link do post | comentar | ver comentários (4)
Terça-feira, 29 de Julho de 2008

Silly season

«BP e Repsol baixam preços à meia-noite»

(Expresso)

«Combustível pode baixar ainda mais»

(Jornal de Notícias)

 

Que disparate, toda a gente sabe que os combustíveis não descem!

por SF às 19:32
link do post | comentar
Segunda-feira, 28 de Julho de 2008

Ervas de cheiro

Com a periodicidade de um qualquer Relatório da Primavera, João Cravinho aterra em Lisboa para nos dar conta dos mais recentes resultados do seu "Corruptómetro".

Sempre aguardadas com expectativa, as suas palavras provocam verdadeiras ondas de choque. A corrupção está a aumentar!!, Não acredito..., Sim, foi o Cravinho que disse, Ah, bom...

Cravinho é obviamente uma voz respeitada, porque independente. Quando fala sobre corrupção, Cravinho fala independentemente de quaisquer estudos, não se deixa influenciar por relatórios, e é fiel à sua visão sistémica recusando enredar-se em discussões de pormenor sobre casos concretos.

Cravinho sente que «estamos numa situação muito complicada e em crescendo», e esta sensação incomoda-o. Já no que toca à pequena corrupção, Cravinho, sempre ancorado no seu "Corruptómetro", sente de maneira diferente e acredita que «tenha diminuído com muito significado em alguns sectores».

Não está aqui em causa - não pode estar nunca - a necessidade do combate à corrupção e o papel decisivo nele a desempenhar pelo Estado. Tão pouco se pretende minimizar o fenómeno e os seus efeitos perniciosos para a qualidade da Democracia.

Este não é um texto sobre corrupção. É um texto sobre os ditosos filhos da Pátria, elevados à condição de especialistas em razão dos seus «achamentos».

por SF às 17:00
link do post | comentar
Domingo, 27 de Julho de 2008

Alentejo da minh'alma, tão electrónico me vais ficando

Como em tantos outros fins-de-semana, atravesso o Guadiana rumo à margem esquerda, à prazenteira aldeia das Pias, no Concelho de Serpa. Ali chegado dou de caras com a primeira edição do «Pias Summer Festival», em jeito de quem ameaça com o regresso.

O cartaz é de luxo, dizem-me, com um tal de «DJ Vibe» à cabeça e onde não faltam «DJ's da região», que os há. Madrugada fora ecoa pela aldeia o Pum-Tsss, Pum-Tsss, Pum-Tsss, aqui e ali cortado por um sobressaltado Pum-pum, verdadeira injecção de vigor, imagino.

por SF às 17:51
link do post | comentar | ver comentários (4)
Sexta-feira, 25 de Julho de 2008

O Circo voltou à cidade

Gonçalo Amaral pode até estar cheio de razão, ou de ressentimento, para o caso pouco importa. Nada pode justificar o exercício gratuito de suspeição a que chama Teoria. Um conjunto de interpretações subjectivas sobre factos isolados, rematadas por perguntas insidiosas convenientemente deixadas sem resposta.

por SF às 00:59
link do post | comentar
Quarta-feira, 23 de Julho de 2008

Lato sensu

A propósito disto, parece-me que com um ratio de uma empresa (PME) de construção civil por cada 143 habitantes se não fosse esta crise seria outra qualquer.

por SF às 01:14
link do post | comentar

Ai Naide, o que é que tu fizeste?!

Parece que Naide Gomes voltou a fazer das suas e saltou um horror de metros que lhe valeram um novo recorde nacional. Temendo que o feito da atleta, dito assim, desta forma simplista, passe despercebido, a  RTP puxa das estatísticas e dá-nos conta da verdadeira dimensão da proeza: «O salto conseguido no Meeting de Estocolmo coloca Naide Gomes como a 37.ª melhor saltadora de sempre e oitava do século XXI.»

por SF às 00:07
link do post | comentar
Terça-feira, 22 de Julho de 2008

Crónica de «uma solução» anunciada

Anunciada para segunda-feira, a «solução» para o "caso Maddie" chegou-nos com um módico comunicado da Procuradoria-Geral da República. Para Pinto Monteiro não há casos insolúveis.

 

por SF às 01:46
link do post | comentar

Todo o cuidado é pouco

Face aos sucessivos alertas do Instituto de Meteorologia de elevado risco de incêndio, em particular na planície alentejana, a actividade intelectual por estas bandas tem estado reduzida ao mínimo, evitando-se qualquer ignição cerebral.

por SF às 01:01
link do post | comentar
Terça-feira, 15 de Julho de 2008

Drama de uma nota só?

Em resposta ao tiroteio da Quinta da Fonte, Estado e "sociedade civil" lançaram-se numa lufa-lufa de «contratualizações» e «estratégias de inclusão». O drama é «Social», dizem-nos os estudiosos da «problemática». Claro, e as pistolas são de fulminantes...

por SF às 14:41
link do post | comentar

Alentejo da minh'alma, tão cobiçado me vais ficando

«O Alentejo é o espaço que apresenta a mais forte concentração de potencial de crescimento do conjunto da economia portuguesa» - Hernâni Lopes, Expresso

por SF às 14:12
link do post | comentar

Esta fotografia é Gira

(Foto: SF)

 

Adenda:

Tentativa de trocadilho, algures entre O «Arcebispo de Cantuária» e «Para escreveres isto mais valia estares quieto»

por SF às 13:17
link do post | comentar | ver comentários (1)
Sexta-feira, 11 de Julho de 2008

Itsy bitsy, teenie weenie, polka dot

Escutados na comissão parlamentar de inquérito, actuais e anteriores responsáveis pelo sistema de supervisão bancária convergiram quanto à impossibilidade de terem sido atempadamente detectadas as manigâncias em que se envolveu o BCP.

Ora, o meu desconhecimento dos meandros da alta finança, é total. Sobre offshores já ouvi falar, mas, confesso, nunca vi algum. Imagino que sejam coisas muito, muito pequeninas. Mínimas.

por SF às 23:58
link do post | comentar
Quinta-feira, 10 de Julho de 2008

É mesmo só para chatear...

«PSD não é contra as obras públicas em geral nem nenhuma em concreto» (Paulo Rangel, no debate do Estado da Nação)

por SF às 23:21
link do post | comentar
Quarta-feira, 9 de Julho de 2008

Não fossem as eleições...(02)

Para Campos e Cunha, cívico-coordenador da SEDES, as perspectivas de desenvolvimento nacionais começaram a esboroar-se aos primeiros sinais de desmobilização das populações de Anadia. Depois foram os pescadores que voltaram ao Mar e os camionistas que voltaram à estrada, levando com eles a última réstia de esperança para este país.

Por fim, triste sina a nossa, vai para um mês que não temos um único protesto com mais de 100 000 manifestantes. Assim não vamos lá...

por SF às 09:52
link do post | comentar | ver comentários (2)

E agora?

Sem passaporte, como é que ele volta?

 

por SF às 03:28
link do post | comentar

Não fossem as eleições...

«A aproximação das eleições de 2009 –europeias, legislativas e autárquicas– tem tido consequências claras e visíveis na vida política portuguesa.»

Lê-se a mais recente «Tomada da Posição» da SEDES e ficamos a perceber que a crise internacional é uma infeliz coincidência no actual «contexto politico-eleitoral», sendo as eleições do próximo ano o verdadeiro empecilho à revelação do milagre económico português.

Concluem os Cívicos, «A evolução económica e a sombra das eleições são um teste ao Governo e à sinceridade com que iniciou reformas cruciais para o País».

Como é bem de ver, a prova da «sinceridade» será tanto maior quanto maior for a derrota eleitoral de Sócrates. Camarada, mãos à obra que o tempo escasseia!!

por SF às 01:08
link do post | comentar
Domingo, 6 de Julho de 2008

Obras públicas, desentendimentos privados

Algumas notícias do fim-de-semana dão-nos conta de um certo mal-estar na relação entre Cavaco Silva e José Sócrates, com origem numa alegada diferença de opiniões a propósito do programa de investimentos públicos.

A bem da cooperação estratégica impõe-se a construção de uma ponte - política, entenda-se - entre Belém e S. Bento, para quebrar o crescente isolamento do primeiro-ministro.

por SF às 23:30
link do post | comentar | ver comentários (2)

Biscates

«Há polícias que, nas horas vagas, trabalham em escritórios de detectives privados para compor o ordenado. Toda a gente sabe. Mas, desta vez, além de quatro agentes da PSP, foi apanhado um inspector que pertencia à 'secreta' da Polícia Judiciária a usar equipamentos da casa.» (Diário de Notícias)

por SF às 17:22
link do post | comentar | ver comentários (1)
Sexta-feira, 4 de Julho de 2008

Para um bom jornalista meia palavra basta

Na edição de hoje do jornal Público podemos ler o resultado de um detalhado estudo baseado nas «declarações vagas [de José Sócrates] sobre as medidas prometidas» na entrevista à RTP.

Aparentemente a ausência de pormenores, ou o desconhecimento dos detalhes, não impede aquele jornal de concluir, versejando «Promessas fiscais de José Sócrates terão efeitos marginais».

Como certamente estamos bem recordados, desde a anunciada vitória de Hugo Chávez no referendo constitucional que  o Público não conhece quaisquer limitações ao dever de informar. Nem mesmo a ausência de informação.

por SF às 12:25
link do post | comentar
Quarta-feira, 2 de Julho de 2008

Meia de leite

A propósito da sua insistência na necessidade de reavaliar a programação dos investimentos públicos de médio e longo prazo, Manuela Ferreira Leite justificou-se dizendo que à oposição compete exigir explicações.

Na realidade assim é, mas não só. Em 2009 MFL não será (ou será ?) candidata a líder da oposição e os portugueses não deixarão de lhe exigir soluções.

por SF às 18:48
link do post | comentar
Subscribe

Últimas

Palpite

Começo a achar que o Sócr...

Falsa modéstia

Quando pensávamos que já ...

Haja Fé

PSD: o desafio da próxima...

Porque amanhã é Sexta...

Primeiro estranha-se...

Parabéns, conseguiram!

Power Rangel

Está o professor cheio de...

Como é evidente

Desabafo

Parafraseando

...

Comentários recentes

diclofenac (http://voltarengel.ga/#6511), [url="ht...
levitra (http://generic-levitra.biz/#4498), [url="...
hydrochlorothiazide (http://microzide.cf/#1268), [...
tadalafil (http://buy-tadalafil.cf/#5714), [url="h...
levitra (http://generic-levitra.cf/#9176), [url="h...
mobic (http://mobicmedication.tk/#4617), [url="htt...

TV do baixo

Sintonize a TV do baixo

 

Pesquisar

 

Arquivos

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Sugestão do Baixo Alentejo

Visite

Ler de alto a baixo

blogs SAPO